Reservas de Hotéis Aluguel de Carro Passagens Aéreas
 Quem somos   |   Formas de Pagamento    |    Compromisso com o Menor Preço   |    Vantagens    |   Segurança    |   Privacidade
Passagens Aéreas Promocionais
Nacionais

Internacionais

No Exterior

Viajando para o Brasil

Viajando entre países

 

Nacionais

Internacionais

 

Brasil

Exterior

 

Seguro viagem

Passaporte

Vistos

Pacotes turisticos

Consulados
Hotéis em São Paulo

Embaixadas do Brasil

Mapa do Site

 

Dicas de Saúde

Guia do Passageiro

Bagagem

Alfândega

Viagens Exterior

Glossário

Chamadas a Cobrar

Joinville - SC

Localizada entre o mar e a montanha, a Cidade das Flores possui beleza natural, riqueza cultural das tradições germânicas e um moderno complexo de equipamentos e serviços, com padrão internacional de qualidade. Maior e mais rica cidade catarinense, com quase 500 mil habitantes, Joinville concilia sua centenária vocação industrial com um novo perfil consolidado nesta década: o de referencia latino-americana como centro de turismo e eventos.

 

A Alameda Bruestlein ou Alameda das Palmeiras Imperiais, no Centro, é caminho obrigatório no roteiro para entender a história de Joinville. As árvores foram plantadas em 1873 para dar acesso à residência de verão dos príncipes de Joinville, um casarão de 1870 onde hoje funciona o Museu de Imigração. Lá estão guardados os vestígios da epopéia que foi a colonização. Tudo começou com um casamento que celebrou a união entre a família imperial brasileira e a realeza francesa. As terras onde estão a cidade foram dadas em 1843 ao príncipe de Joinville, François Ferdinand Philipe - filho do rei da França - como dote da princesa Francisca Carolina, irmã do imperador Pedro II. O casal não chegou a conhecer a terra. Parte dela foi negociada com a Sociedade Colonizadora Hamburguesa. Em março de 1851 chegaram os primeiros imigrantes alemães e suíços, seguidos por um grupo de noruegueses. Do ano da fundação até 1897, foram trazidos 28 mil imigrantes germânicos. Já na década de 1880, surgiram as primeiras indústrias têxteis e metalúrgicas. Entre as décadas de 50 e 80, Joinville viveu outro surto de crescimento: com o fim do conflito mundial, o Brasil deixou de receber os produtos industrializados da Europa. Isso fez com a cidade de Joinville se transformasse em pouco tempo em um dos principais pólos industriais do país, com mais de 4000 indústrias e matriz de gigantes como Tigre, Döhler, Schulz, Docol, Lepper, Tupy, Cônsul Multibrás, e da Embraco, recebendo por isso a denominação de "Manchester Catarinense" ou a "Hannover do Sul".

 

Joinville é uma cidade que evoluiu rapidamente, mas jamais abandonou suas tradições e principalmente o encanto da natureza, por isto hoje é ainda possível encontrar belíssimas paisagens que nos transmitem muita paz de espírito, mesmo estando ligadas ao agito da cidade. A Torre do Mirante, no alto do morro Boa Vista, com uma altura de 250 metros oferece um sensacional vista panorâmica, e o Museu Fritz Alt, antiga residência do artista onde se encontram expostas suas obras e objetos pessoais, e a Estação Ferroviária, um dos símbolos da cidade, construída em 1910 também merecem uma visita. A região norte de Joinville com suas belezas naturais, tem desenvolvido bastante o Turismo Rural, onde podem ser encontrados produtos artesanais, café colonial, pescarias e restaurantes genuinamente alemães, e uma boa dica é seguir a Estrada do Piraí ou a Estrada Bonita, que conduz a uma autêntica colônia rural. O barco Príncipe de Joinville - um dos mais luxuosos iates da costa brasileira com capacidade para 350 pessoas, também promove encantadores passeios pela Baía da Babitonga, Lagoa de Saguaçú e várias ilhas da região.

 

Várias festas acontecem todos os anos em Joinville. As mais conhecidas são a Festa das Flores realizada no mês de novembro, a Fenachopp, a segunda maior festa germânica do país, que acontece em outubro, e o Festival da Dança realizado todos os anos em julho, promovendo Joinville como a Capital da Dança, já que é em Joinville que o Balé Bolshoi mantém sua única escola fora da Rússia.

 

Há 3.500 leitos disponíveis e 30 hotéis de categoria, além de inúmeras pousadas e hospedagens alternativas. A valorização de conceitos como hospitalidade, confiança e honestidade nos serviços faz do contato com os habitantes da cidade uma agradável e surpreendente experiência. Joinville é um moderno centro urbano que conserva o jeito simpático da gente do interior.

 

Para chegar à cidade, o acesso é fácil por via aérea, rodoviária e marítima. O aeroporto, a 10 km do centro por estrada asfaltada, tem uma média de 12 vôos diários de aviões de grande porte, direto para São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre, ou com escalas em diversas cidades do interior de Santa Catarina e São Paulo. Joinville está apenas 135 km de Curitiba (PR) por rodovia duplicada, a BR-101, e a 184 km da capital catarinense, Florianópolis, por rodovia igualmente duplicada. A proximidade do porto de São Francisco do Sul a 45 km, um dos maiores e melhor equipados do Brasil, permite o transporte marítimo de equipamentos pesados com agilidade e segurança.

 

 

Por Verônica Moschetta

 

 

Este site é operado pela Ponto Tur Viagens e Turismo. Copyright© 2006 Ponto Tur. Todos os direitos reservados.